Gravidez: a Lua influencia na gestação?

Para algumas pessoas, a Lua pode influenciar vários aspectos da vida, desde o momento ideal para cortar o cabelo até a definição da data do parto. Muito dessa crença vem dos nossos ancestrais, que faziam a contagem das gestações com base nos ciclos lunares – quatro luas correspondiam a um mês de gravidez, e trouxemos essa tradição para os dias de hoje. Não é muito incomum que algumas grávidas escutem de suas amigas ou de parentes para que fiquem atentas à mudança da Lua, pois o bebê pode chegar nesse período.

E de onde vem essa crença?

Vamos fazer um pequeno passeio ao passado, para entender como a Lua se tornou referência para várias atividades da nossa vida cotidiana, bem como a influência dela sobre o nosso corpo. Essa cultura vem desde o Período Paleolítico e, nessa época, por prover maior claridade, a Lua Cheia era o período ideal para a caça noturna.

As fases lunares também têm uma certa influência sobre as marés. Só que esse efeito tem mais relação com o alinhamento entre a Terra, a Lua e o Sol – momento em que a ação gravitacional da Lua e do Sol amplia seu efeito na massa marítima. Entretanto, quando essas forças de atração entre os dois são opostas, não acontece quase nenhuma diferença entre maré alta e maré baixa.

Silhueta de uma mulher em frente à Lua cheia

É com base nessa força de atração que os pescadores usavam o ciclo da Lua como um fator determinante para uma pesca eficiente. Por essa razão, os ciclos lunares se tornaram referência na marcação de intervalos de tempo e de períodos festivos e ritualísticos entre os povos antigos.

Como a Lua interfere nas marés, existe a associação dessa interferência com os líquidos do nosso organismo e, como a bolsa amniótica é preenchida de líquido, haveria essa intervenção da Lua sobre o nosso corpo. Existem, inclusive, profissionais da saúde – especialmente aqueles envolvidos com os cuidados do parto – que acreditam nessa teoria. Além disso, considera-se o fato de que o ciclo lunar tem quase a mesma duração que o ciclo menstrual (o ciclo da Lua dura em média 29 dias), uma coincidência que pode provocar a crença de que isso corresponde a uma influência legítima.

A ação da Lua de acordo com a fase

Segundo a teoria baseada na influência da Lua sobre os líquidos do corpo, essa influência, no caso da gestante, seria capaz de induzir as contrações, levando-a começar o trabalho de parto.

Fases da lua sobrepostas no céu, sobre uma cidade

Essa ação ocorreria com a chegada da Lua Cheia, mas somente para as mulheres que estivessem perto de parir, ou seja, se a mulher estivesse na reta final da gravidez, ela deveria ficar atenta à mudança da Lua para a fase Cheia, pois seriam muito grandes as chances de o bebê nascer nesse período.

Você também pode gostar:

Existe até o uso das fases da Lua com intuito de engravidar, que é a chamada lunacepção (lua + concepção). Algumas mulheres acreditam que, alinhando o ciclo lunar ao seu ciclo menstrual, terão mais chances de engravidar. Sendo assim, se a mulher estiver menstruada na Lua Nova e ovular na Lua Cheia, as probabilidades de engravidar aumentam consideravelmente.

Mito ou verdade?

A cultura e a tradição acabam fazendo com que o senso comum desafie a ciência e se torne praticamente uma verdade absoluta devido aos costumes que são passados de geração para geração e acabam se fortalecendo entre os povos. No entanto será que existe alguma chance de essa relação da Lua com a data do parto ser verdade ou não passaria de um mito? Existe alguma evidência científica sobre esse fato?

Essa possível relação entre as fases lunares e a obstetrícia já foi objeto de inúmeros estudos ao longo dos tempos.

Imagem de uma mulher grávida vista de perfil

Um estudo publicado no “American Journal of ObstetricsGynecology”, em 2005, analisou a relação de 500 mil partos com os ciclos da Lua. Essa análise, que correlacionou 62 ciclos lunares a esses partos (realizados entre 1997 e 2001 no estado da Carolina do Norte, EUA), também não teve nenhuma conclusão referente a essa interferência da Lua.

Outra pesquisa publicada em 2008 na revista científica “Acta Obstetricia et Gynecologica Scandinavica” coletou dados de aproximadamente 6 mil partos realizados na Alemanha, entre 2000 e 2006, tentando correlacioná-los com as fases da Lua. O resultado obtido pelos pesquisadores foi de que não houve correlação entre as fases da Lua e o número de partos. Além disso, foi analisada a presença ou não de complicações no parto (como, por exemplo, parto prematuro) e mais uma vez não houve nenhuma conexão com a fase lunar.

Pelo que os estudos demonstram, certamente corresponde a um mito, mas ainda assim há os que acreditam, independentemente do que apresenta a ciência. O importante de tudo é que devemos sempre ficar atentos aos sinais do nosso corpo. Não custa nada levar em consideração a nossa intuição e acreditar no nosso instinto. E é bastante enriquecedor buscar conhecimentos alternativos, entrar em contato com a nossa ancestralidade, ouvir nosso chamado interior. A natureza é sábia e é fonte até mesmo de muitas pesquisas e produtos da ciência, porém é sempre bom receber as informações com prudência e discernimento.