Júpiter em Sagitário

Bem-humorados, sempre buscando as coisas gostosas da vida e um sorrisão no rosto! Esses são os sagitarianos, que costumam também ser bastante sonhadores e sempre caminham sem lenço nem documento pelo mundo à procura de pessoas e de experiências novas, mas sem deixar de ser leais às coisas que já conseguiram conquistar. Essas características todas são associadas à pessoa que nasceu sob o signo solar de Sagitário, isto é, entre 22 de novembro e 21 de dezembro. Esse signo é regido pelo planeta Júpiter e pelo elemento Fogo.

Quem entende um pouquinho de astrologia, todavia, sabe que conhecer o signo solar é importante, porque ele nos dá pistas das características mais gerais de quem somos, mas são os outros astros e os planetas que apontam as particularidades e especificidades da nossa personalidade, o que contribui de maneira incalculável para o nosso processo de autoconhecimento. Se o seu Mapa Astral indicou que você tem Júpiter em Sagitário, entenda o que significa e como isso afeta a sua vida e quem você é.

O que Júpiter representa no Mapa Astral?

Imagem do planeta Júpiter visto do espaço.

Antes de entender o que a presença de Júpiter no signo de Sagitário significa, é preciso entender, de modo geral, o significado do planeta Júpiter no Mapa Astral, porque cada astro e cada planeta determinam o modo como nos comportamos em certos setores da nossa vida, como explicado na introdução. O Sol, como exemplo, é quem dá a base de quem somos e dos contornos de nossa personalidade, por isso é que usamos o nosso signo solar para dizer de qual signo somos nativos. Júpiter, o maior planeta do nosso sistema solar, define como lidamos com o conhecimento e com as ideologias e concepções que temos a respeito do mundo, além de indicar o modo como tudo isso influencia, sobretudo, a nossa vida profissional e os nossos projetos pessoais, sejam quais forem.

O que significa Júpiter em Sagitário no Mapa Astral?

O que significa ter Júpiter no signo de Sagitário no seu Mapa Astral, afinal de contas? Resumidamente, significa que Júpiter estava transitando no signo de Sagitário no exato momento em que você nasceu, então são as características desse signo que ditarão as especificidades referentes ao maior planeta do nosso sistema solar. Se o seu Mapa Astral apontou que você tem Júpiter em Sagitário, entenda agora como isso afeta você e os traços da sua personalidade.

Júpiter em Sagitário no homem e na mulher

Homem e mulher sorrindo lado a lado em frente a uma árvore florida.

É comum que as pessoas pensem que Júpiter em Sagitário afeta homens e mulheres de maneira diferente, mas a verdade é que a influência desse planeta sobre nossa vida não depende de sexo e gênero. A mesma influência que o maior planeta do nosso sistema solar terá no conjunto de crenças, espiritualidade, planos, sonhos e conhecimento do homem terá no da mulher, então não é preciso acreditar que o seu sexo muda alguma coisa o modo como esse planeta nos afeta, como é o caso de Vênus e Marte, por exemplo, que mexem com homens e mulheres de maneira ligeiramente diferente.

Júpiter em Sagitário: características

Retrato de uma mulher sorrindo com os cabelos ao vento

Júpiter em Sagitário é um posicionamento muito bom, porque está domiciliado, isto é, o regente do signo de Sagitário é Júpiter, então é muito bom que esse planeta esteja nessa posição.

Questões existenciais compõem uma parte muito importante da vida da pessoa que tem Júpiter em Sagitário, então é muito importante que ela busque estudar diversas filosofias, teorias a respeito de tudo e correntes religiosas e espirituais, a fim de que consiga responder às muitas perguntas que tem ou que consiga ao menos sentir a boa sensação de que está em busca de um dia, quem sabe, responder a essas perguntas.

O crescimento dessa pessoa depende diretamente do amadurecimento das respostas que ela busca para as questões existenciais que atormentam o seu coração ou a sua alma, então se ela sentir que não está estudando o bastante (e estudar, aqui, não aparece como estar com a cara enfiada em um livro, mas como qualquer conversa ou aprofundamento que permita a ela se expandir), sentirá certa estagnação na sua vida.

Você também pode gostar:

Essa pessoa normalmente sente que tem uma missão na vida, algum propósito que dê sentido à sua existência e que, ao menos minimamente, explique a sua vida e por que ela está acontecendo. Sentir que está sempre no caminho certo para ser bem-sucedida nessa missão de vida é algo essencial para essa pessoa, então sentir-se desviada de seu verdadeiro propósito é o que mais a incomoda.

Muita gente compara a posição de Júpiter em nosso Mapa Astral ao fermento como ingrediente de um bolo. Ou seja, ele não é o responsável por dar sabor ou textura ao bolo, mas é essencial para que ele cresça e seja bem-sucedido, portanto há muita gente que confunde missão de vida como um objetivo próximo, algo palpável a ser conquistado, quando, muitas vezes, a missão é apenas algo que conduz as nossas ações, não o resultado delas. Por exemplo: se você sente que a sua missão de vida é fazer o bem, isso não significa que você precisa a todo momento se sacrificar para ajudar o próximo, apenas que cada um dos seus atos deve considerar o todo e que você precisa fazer o possível para contemplar as suas vontades e o todo também.

Júpiter em Sagitário no Mapa Astral: amor

Duas mulheres sentadas dando as mãos.

Como essa pessoa dá muita importância para questões existenciais e coisas “maiores” do que a vida real, é preciso que ela provavelmente encontre um parceiro que compreenda e que preferencialmente participe disso. Imagine um jantar entre uma pessoa que quer discutir a existência de Deus e outra que deseja falar sobre como foi o dia no trabalho. É claro que é possível fazer os dois no mesmo jantar, mas isso só será possível se as duas pessoas amarem uma reflexão existencial, porque aí ambas resumem seu dia no trabalho e aí logo em seguida passam a discutir a existência de Deus.

Júpiter em Sagitário na vida profissional

Mulher sentada em uma mesa de trabalho, olhando para o lado.

Como sente essa necessidade absurda de estar em contato com seu íntimo, para que se questione a respeito de perguntas tão existenciais e filosóficas, essa pessoa se dá muito bem no meio acadêmico, que lhe permite estudar e aprofundar seus questionamentos. Áreas como psicologia, filosofia, sociologia e jornalismo são boas escolhas para essa pessoa, porque permitirão que ela estude bastante, amplie sua visão sobre essas questões “maiores” e sacie sua necessidade de basear o seu crescimento na vida à busca por respostas para questões tão existenciais.

Os desafios de Júpiter em Sagitário

Mulher com os cabelos ao vento em frente ao mar.

Sim, este é um bom posicionamento, mas isso não significa que ele não tenha seus próprios desafios. O principal desafio na vida dessa pessoa é adaptar à realidade as questões existenciais que permeiam seus pensamentos. Como as respostas para perguntas como “o que vem depois da vida?”, “por que o mundo é tão injusto?” e “o que é o amor?” se aplicam à sua vida real, ao seu cotidiano e ao modo como você se relaciona com as pessoas? Se as suas questões existenciais são apenas teóricas e não afetam o modo como você conduz a sua vida, para que elas servem? Outro desafio é entender que muitas dessas questões existenciais jamais serão respondidas de maneira satisfatória, e tudo bem! Isso não pode paralisar a nossa vida ou nos impedir de viver. Alguém algum dia vai ter certeza do que vem após a vida? Alguém consegue explicar as injustiças do mundo? Existe alguém aí que possa explicar o amor? O que podemos fazer é supor, estudar e refletir o suficiente para que desenvolvamos nossas próprias teorias e acreditemos nelas, sabendo também que elas mudarão ao longo de nossa vida e das experiências que acontecerão ao longo dela. Por fim, pensar sobre o quanto a sua missão de vida mexe com a sua vida é muito importante. Por natureza, não temos missão de vida, porque o ser humano nasce, vive e morre. Nós é que atribuímos a nós mesmos uma missão de vida, baseada naquilo que amamos, que vemos do mundo, que sentimos e que pensamos, então jamais considere que há algo superior que te impele a ir atrás de uma missão, mesmo que você não queira, porque isso só vai te levar a tomar atitudes que você não gostaria de tomar. Tenha uma missão de vida, mas – mais importante do que ter – ame a sua missão de vida.

Confira também: