Os aprendizados dos signos em 2020

2020 não foi um ano nada típico. Completamente fora do comum, este ano, que felizmente está perto de acabar, promoveu em cada um de nós uma séria de mudanças drásticas, muitas delas de forma compulsória, contra a nossa vontade, tendo em vista a realidade dos fatos. A necessidade de ressignificar o convívio social e de rever nossas prioridades foi a tônica deste ano, em especial nos últimos 9 meses. Nossa vida mudou drasticamente, então não houve quem não tivesse tirado pelo menos um aprendizado profundo.

Mas essa foi uma lição geral, para o mundo inteiro. Cada pessoa, a sua maneira, teve seu aprendizado particular, de acordo com suas características individuais e sua forma de enxergar o mundo e seus acontecimentos. Assim é para os signos, que tiveram uma percepção própria de cada dia de 2020. Com base na influência dos astros, trazemos a você o que cada signo aprendeu com este ano, que deu o que falar. Confira neste artigo.

Áries

Mulher branca e loira sentada de costas numa rocha.

Falando especificamente de pandemia, o ariano foi basicamente obrigado a exercitar a paciência e entender que nem tudo tem de ser do jeito dele. Foi preciso muito jogo de cintura para lidar com limitações impostas pela quarentena.

Junto com a conquista dessa quase impossível paciência, esse nativo aprendeu a controlar seus impulsos e a olhar para a situação como um todo, pensando antes de agir. Claro que não foi fácil; mas, na impossibilidade de fazer diferente, o ariano precisou direcionar sua energia à sobrevivência emocional. Era isso ou perder as rédeas da situação. O arrependimento é sempre um mau negócio para esse signo. O custo emocional é alto demais e é difícil se reerguer depois dessa enxurrada que é a perda de controle. Esses foram grandes aprendizados. Parabéns aos nativos que conseguiram completar essa missão.

Touro

Mulher branca olhando para cima no meio de bosque.

Para o taurino, toda mudança de planos gera um grande desconforto. Ter de se adequar a algo que ele não pode administrar é um exercício extenuante. Uma grande lição de 2020 para esse signo foi a percepção de que a efemeridade das coisas é uma realidade e é preciso aceitar que a vida não é um bibelô, que fica parado na estante, sendo espanado de vez em quando. A vida acontece, é mutável e insegura. A estabilidade nem sempre será possível.

Junto com essa percepção da mutabilidade das coisas, o taurino aprendeu a sair da zona de conforto. Praticar o desapego foi uma atividade que deve ter tido até um gostinho bom, até porque é muito bom a gente se livrar de tudo aquilo que nos escraviza, inclusive nossas próprias atitudes.

Gêmeos

Pessoa branca escrevendo um bloco de notas com xícara de café ao lado.

Geminianos podem achar que precisam fazer tudo ao mesmo tempo. Se perderem uma coisa ou outra, vão se sentir incompletos. O que 2020 trouxe para esse signo foi a necessidade de desacelerar, de buscar olhar para uma coisa de cada vez, enxergando com mais profundidade.

Outra coisa importante que esse nativo pôde aprender com este ano foi a capacidade de se organizar e se planejar, sem se atropelar em milhares de coisas simultaneamente. Como muitos passaram a trabalhar em home office, a organização e o foco foram cruciais para que eles pudessem terminar suas tarefas. É fácil demais para um geminiano se dispersar. Este foi o ano em que ele teve de aprender a nadar contra essa correnteza. Foi na dor, mas valeu o esforço.

Câncer

Idosa e menina brancas se abraçando.

O ano está chegando ao fim e com ele o canceriano pode dar adeus ao excesso de sentimentalismo, de drama. A realidade de 2020 trouxe outras prioridades, em especial no campo das emoções. Esse nativo precisou ser mais racional e prático, para poder sobreviver ao isolamento imposto nos últimos meses.

Com esse afastamento, o canceriano também conseguiu perceber que o amor de seus entes queridos não diminuiu com a distância. Com isso, ele pôde perceber que a distância – que antes era voluntária – não era sinônimo de esquecimento, falta de consideração ou desprezo, era porque as pessoas tinham seus problemas para resolver e suas vidas para tocar. Simples assim.

Leão

Mulher negra com cabeça baixa e mão no cabelo.

Esse signo adora um desafio, mas definitivamente não gosta de ficar sem plateia para vê-lo transpor os obstáculos. Ficar isolado trouxe ao leonino a necessidade de rever os seus conceitos sobre ser o centro do mundo. Tantas preocupações urgentes, tantos acontecimentos graves, tudo isso trouxe a esse nativo a percepção de que não é hora para ser vaidoso.

Outra grande lição – ou talvez a lapidação de uma de suas qualidades – foi a ressignificação do que é ser inspiração para alguém. Mais do que nunca, 2020 foi o ano para os leoninos se destacarem por sua generosidade. Só que, diferentemente do habitual, sem plateia. E não é que foi gratificante?

Virgem

Mulher branca assoprando um dente de leão.

O virginiano cumpre normas como ninguém. Aliás, é um dos três signos que mais sabem lidar com regras e comandos (junto de Touro e Capricórnio), então cumprir o isolamento e fazer tudo certo para evitar contaminação foi fácil. Difícil foi expressar sentimentos por causa da distância de seus entes queridos. Sim, virginianos amam profundamente seus parceiros, parentes e amigos. Eles só não sabem expressar isso da forma convencional. Estar longe fez com que eles aprendessem a transpor os sentimentos para palavras.

Você também pode gostar:

Outra coisa que esse nativo precisou trabalhar foi o seu realismo exagerado – que pode até parecer um ligeiro pessimismo. Aprender a olhar o lado bom das coisas e ter esperança de dias melhores foi um exercício hercúleo, mas veio surtindo efeitos ao longo do ano. Em 2021, podemos esperar virginianos mais flexíveis e expressivos.

Libra

Mulher branca de braços levantados num campo durante o pôr do sol.

A busca por equilíbrio é a marca registrada desse signo, que não à toa tem a balança como símbolo – é óbvio. Mas, se teve uma coisa que este ano não trouxe foi equilíbrio. Tudo aconteceu de forma atropelada. Tivemos uma situação que não pôde ser controlada e demorou para que o libriano pudesse analisar os dois lados desse evento catastrófico que foi 2020. Como tudo foi de estalo, esse nativo aprendeu que não podia ficar indeciso diante dos fatos. Se pensasse muito, poderia ir tudo por água abaixo.

Por ter aprendido – na marra – a tomar decisões rápidas, veio a percepção de que a frustração é mais comum do que se imagina. Esse é um sentimento com o qual esse signo não consegue lidar bem. Mas a lição foi: levante-se e bola para a frente. Não deu tempo nem para se sentir infeliz. Ainda bem, pois ele vai entrar o próximo ano com uma sensação de vitória emocional.

Escorpião

Mulher branca com cabelos no rosto e expressão suave.

Se por um lado o ano trouxe uma necessidade de maior recolhimento – o que é bom para o nativo de Escorpião –, por outro trouxe a necessidade de usar recursos que até então tinham sido um tormento para eles: videoconferência, reuniões em plataformas virtuais. Não que a tecnologia assuste esse signo, mas é porque ele evita a todo custo se expor, e a exposição nas redes sociais e nos meios digitais pode ser desconfortável para ele, ainda mais quando está no seu lar – seu asilo inviolável.

Outra coisa interessante para o escorpiano foi que ele precisou se dar conta de que não pode controlar tudo, portanto foi preciso abandonar aquela velha mania de querer manipular, vigiar tudo. A urgência da vida roubou-lhe o desejo de querer tratar tudo a ferro e fogo. As tristezas de 2020 trouxeram a Escorpião uma qualidade que todos esqueceram que ele tinha: a capacidade de perdoar. Quem conhece um escorpiano a fundo sabe que ele tem um coração forte e por vezes temperamental, mas incrivelmente dotado de uma capacidade de desapego que ele mesmo não tem conseguido praticar. Neste ano, essa foi mais que uma lição. Foi uma bênção.

Sagitário

Mulher negra olhando para cima com o indicador no queixo.

Sagitarianos amam a liberdade, amam explorar o desconhecido. Amam viajar e conhecer culturas, lugares e pessoas diferentes, mas 2020 deu uma travada em todas as suas expectativas, fazendo com que eles entendessem que, de vez em quando, criar raízes pode salvar sua vida. Eles gostavam tanto de buscar conhecimento fora de seus lares, mas vieram entender que, na atual circunstância, é necessário praticar o autoconhecimento. Nada melhor do que uma boa dose de reclusão.

Esses nativos aprenderam também o momento certo para arriscar. Por ora, foi preciso apaziguar a inquietude e a vontade de sair por aí de forma negligente, contando com o acaso.

Capricórnio

Mulher branca sentada de frente para um notebook branco, com expressão sorridente.

Assim como Touro e Virgem, Capricórnio é ótimo para seguir comandos e obedecer a normas. Cumprir determinações, para este signo, é como respirar. Faz parte de sua essência, mas levam tudo a sério demais. Parece até que eles têm uma nuvem pesada pairando sobre eles o tempo todo, mas é só impressão. Seu comprometimento e sua seriedade afastam um pouco, mas não definem quem eles são. É por isso que, neste ano, uma das grandes lições para esses nativos foi aprender a deixar as coisas fluírem, aprender a levar a vida com mais leveza.

Trabalhar em casa, com todos os imprevistos que esse evento traz – e longe do controle absoluto de um escritório –, também fez com que os capricornianos passassem a ser mais flexíveis, menos turrões, compreendendo e aceitando que imprevistos acontecem, mesmo quando criamos planejamentos “infalíveis”, mas no fim tudo deu certo.

Aquário

Homem branco dando beijo na testa de mulher branca e loira.

Aquarianos estão sempre pensando em ações que abranjam a coletividade. Quase tudo que fazem inclui o bem conjunto. Ao mesmo tempo, gostam de se exilar, quando o assunto é a relação direta com alguém. Faltam-lhes tato e paciência. Sobra-lhes racionalidade. Este foi o ano em que eles aprenderam a se doar de forma mais emotiva, a ser menos frios.

Também aprenderam a lidar com regras, a domar sua rebeldia contra as ordenações sistêmicas, mas foi tarefa fácil, visto que o bem maior era o coletivo. Então, toda vez que eles precisavam “engolir” alguns sapos, o que os incentivava era a certeza de que estavam fazendo um bem ao mundo.

Peixes

Mulher branca abraçada com cachorro preto e branco.

Piscianos foram essenciais para 2020. Ninguém mais poderia encarar um ano tão estranho e atroz, se não houvesse alguém para exercer a empatia, a espiritualidade e a fé em que tudo iria passar. Só esses corações puros são capazes de nos trazer esperanças, mas ao mesmo tempo têm uma cabeça fervilhando, perguntando intensamente o que os leva a grandes momentos de crises internas. Um grande aprendizado para eles foi conseguir justamente lidar com uma avalanche de pensamentos e um turbilhão de sentimentos. Autocontrole foi a tônica da lição.

Outra coisa muito importante que eles tiveram de absorver: a objetividade; entrar um pouco na realidade para poder pensar de forma clara e buscar soluções tanto para seus conflitos internos como para os acontecimentos do mundo. Para a nossa sorte, essa objetividade não os destituiu da humildade, solidariedade e compaixão, que fazem deles os seres especiais que são.

 

E você? O que aprendeu com este ano de 2020, que chega ao fim trazendo uma verdadeira revolução interna para todos nós? Será que o seu signo bateu com o que você leu aqui? Conhece alguém descrito exatamente como está aqui? Compartilhe com essa pessoa, leve um pouco de esperança a quem você ama. Quem sabe uma das lições aqui listadas ainda consiga alcançar alguém! Ainda dá tempo. Feliz Ano Novo!