Qual o seu nível de estresse?

Você já parou para pensar em quanto estresse acumula no decorrer dos dias e o que está fazendo para dissipá-lo? Pois saiba que isso é muito importante, pois o estresse tem um impacto enorme na nossa qualidade de vida! Níveis de estresse muito elevados podem ter reflexos na saúde física, mental, emocional e até espiritual, impedindo a comunicação com o nosso eu mais profundo e com o sagrado.

Mas o que é o estresse e como é possível que ele se acumule?

O estresse é um conjunto de respostas que o nosso corpo dá para um evento ou uma situação que merece grande atenção ou que oferece perigo. Esse "conjunto de respostas" é composto por uma série de hormônios e substâncias que são jogados na nossa corrente sanguínea e que atingem todos os nossos órgãos para que possamos dar o nosso melhor na situação. É o chamado "mecanismo de luta e fuga" – e é muito importante em situações de emergência e na superação de grandes desafios. Ou seja, o estresse, em si, não é algo necessariamente ruim.

O problema está quando estas substâncias ficam circulando no corpo de forma constante e contínua. É aí que vão se constituindo o que chamamos de "níveis de estresse". Imagine: você conseguiria passar dias ou meses correndo de um leão sem parar? Quando a vida nos demanda produção, decisões, resolução de desafios e de tarefas ou mesmo de problemas o tempo todo, é exatamente estas situações que se criam no nosso cérebro e corpo. Características de personalidades como perfeccionismo e ansiedade, quando exacerbadas, também podem agravar o quadro.

Homem desapertando a gravata com expressão estresse

E como resolvemos isso? Bom, primeiro, você precisa saber qual é o seu nível de estresse. O primeiro passo para resolver um problema é sempre ter consciência dele. Faça o nosso teste e também fique atento aos sintomas, como cansaço constante, mudança na pressão arterial, pensamentos constantemente acelerados, mudança no apetite (para mais ou para menos) e no padrão de sono, além da perda de interesse por coisas que antes te faziam feliz, entre outros.

Uma vez que você souber qual é o seu nível de estresse, é hora de tomar providências e de se cuidar. O trio de ouro – sono, alimentação e exercício – é capaz de gerar grandes resultados. Encare-os como quem toma um medicamento. A prática de atividade física é essencial para consumir as substâncias de "luta e fuga" e produzir outras que induzem o bem-estar. Sono e alimentação equilibrados fornecem ao corpo condições para se reparar e se fortalecer. Outra coisa importantíssima para diminuir o estresse: divertir-se. Faça coisas que te deixam bem, feliz e alegre de verdade. Sair com os amigos, ver filmes, ler livros, viajar e outras atividades que digam ao cérebro: está tudo bem agora, pode relaxar.

Se nada disso der certo ou se você perceber que não conseguirá sozinha ou sozinho, não tenha medo nem vergonha de procurar ajuda profissional. Médicos e psicoterapeutas podem ser essenciais na retomada do controle da sua vida e da sua felicidade.