Você é mestre na arte da sedução?

Você está a fim de alguém, mas não sabe se é capaz de seduzi-lo? Admita você ou não, a sedução é uma arte que todos conhecemos! Alguns a dominam, outros apenas conhecem as táticas básicas, mas todos nós somos artistas quando o assunto é essa arte tão tentadora. Agora, quem é você nessa pintura? O mestre ou o aprendiz?

Independente do quão infalível seu mel é, não existe um jeito certo ou errado na hora de seduzir alguém. Enquanto algumas pessoas esperam que o cheiro do seu mel atraia seu objeto de desejo, outras passam o mel no corpo e vão à luta, enquanto outros mais diretos jogam o mel no outro, e se insinuam sem mais rodeios.

Na prática, quem espera o cheiro do mel fazer efeito é aquela pessoa sutil. Ela lança o famoso olhar 43. Fica na dela, só esperando a hora certa. Entre olhares, sorrisos e provocações sutis, elas são confiantes e sabem que seu charme único é a sua carta na manga!

Homem beijando mão de mulher ambos sentados em banco de praça

Já quem passa o mel no corpo e vai à luta são aquelas pessoas que provocam o outro no ato. Esperar que o outro tome a iniciativa enquanto ela fica sentada esperando, definitivamente não é o seu estilo. Essa pessoa vai dançar na frente do crush, apostar nas melhores posições e se mostrar nos melhores ângulos, que ela tanto praticou no espelho antes de ir para aquela festa. Depois de mostrar todo seu poder, só então ela ficará feliz em talvez aguardar um pouco...

Por fim, aqueles que jogam seu mel no outro, são aquelas pessoas que partem para a ação, e não esperam a iniciativa alheia. Entre o clássico “você vem sempre aqui?”, tentar achar uma brecha encontrando um amigo em comum, ou simplesmente pagando uma bebida para o crush, esse sedutor vai se mostrar para o jogo!

Agora que você leu tudo isso, e está achando que age de todas essas formas dependendo da situação. A hora do tira teima chegou! Faça nosso teste, e descubra qual tipo de sedutor você é! E, claro, não se esqueça: independentemente do resultado, na hora que se sentir inseguro sobre suas táticas, como diria as coleguinhas “quando o mel é bom, a abelha sempre volta”.